MELASMA.jpg

7 de outubro de 2018 Dr. André LauthProcedimentos0
Você já ouviu falar em microagulhamento? Esta é uma técnica que consiste no tratamento da pele por meio de múltiplas micro perfurações que, entre outras funções, tem sido usada com excelentes resultados no tratamento do melasma.
A maneira mais comum de se realizar o microagulahemento é com o uso de um dermaroller, equipamento descartável constituído por um cabo com um tambor giratório em sua extremidade (semelhante a um rolo de pintura). Neste tambor existem 192 microagulhas (pode variar de acordo com a marca) de 0.5 até 3.0 milímetros de comprimento. Com o paciente sob anestesia, o equipamento é passado sobre a pele a ser tratada em vários sentidos, causando milhares de perfurações. Estas perfurações provocam pequenos sangramentos, que atraem plaquetas e outros fatores, os quais promoverão um processo de restruturação, renovação e clareamento da pele.
Ele é bastante usado no tratamento das cicatrizes deixadas pela acne, de manchas e do envelhecimento, em qualquer tom de pele. É indicado no tratamento do melasma, especialmente se combinado à aplicação de um clareador tópico logo após a sessão. Aqui no consultório utilizo o NewMelan R.
Por ser um método que danifica pouco a superfície da pele, pode ser utilizado nos pacientes com pele mais sensível, naqueles que não responderam bem a tratamentos mais agressivos como laser e peelings, ou naquelas com tom de pele mais escuro, onde estes métodos são contra-indicados!
E lembre-se que o melasma é uma doença da pele e não uma simples mancha! Não basta apenas clarear. O mais difícil é manter os resultados e a maneira mais segura de conseguir isso é com a ajuda de um dermatologista, o médico especialista em pele.
Agende uma consulta para ajudá-lo no combate ao melasma.

O-que-O-microagulhamento-um-procedimento-que-consiste-em-microperfuraes-da-pele-com-finas-agulhas.jpg

20 de julho de 2018 Dr. André LauthProcedimentos0
O que é
O microagulhamento é um procedimento que consiste em microperfurações da pele com finas agulhas metálicas. Seu princípio é semelhante ao da acupuntura, porém, localizado e múltiplo, produzindo efeito apenas na área tratada. Seu resultado mais proeminente é a indução de colágeno e de outras fibras naturais na pele, bem como o espessamento da epiderme. A técnica pode ser feita por rollers (mais comum), canetas elétricas ou carimbos. É sempre importante observar se o material utilizado tem autorização da Anvisa para uso, e se as agulhas são estéreis. Em nenhuma hipótese estas podem ser reutilizadas, mesmo que no próprio paciente.
A técnica mais popular é a minimamente invasiva, na qual o procedimento é realizado pelo dermatologista apenas com creme anestésico. Na técnica cirúrgica, o microagulhamento é feito de forma mais intensiva e com o paciente anestesiado em ambiente cirúrgico. Usualmente, a técnica minimamente invasiva oferece resultados após uma sequência de aplicações em intervalos regulares (comumente mensais), enquanto a técnica cirúrgica pode já oferecer resultados visíveis em apenas uma sessão.
Para fazer o Microagulhamento o paciente não deve estar com a pele bronzeada nem apresentar infecções locais. Câncer da pele na área tratada ou nas proximidades também contraindica a técnica, por isso a importância de fazer o procediemento com um dermatologista. A recuperação costuma ser rápida, mesmo nos casos de técnica cirúrgica.
Indicação
As principais indicações do microagulhamento são: cicatrizes, especialmente as de acne, estrias, envelhecimento e flacidez, calvície, melasma e drug delivery em geral.

Melasma-o-que-voc-precisa-saber.jpg

20 de julho de 2018 Dr. André LauthDoenças0
O melasma é uma melanodermia, isto é, uma alteração da cor da pele na qual ocorre aumento da quantidade de melanina, pigmento da pele, em algumas áreas. A principal função da melanina é filtrar parte da radiação ultravioleta que vem do sol (funciona como um “filtro solar natural”). Ela também tem papel na regulação da temperatura e na absorção de radicais livres nas células. O melasma ocorre principalmente em mulheres acima dos 25 anos de idade, mas pode ocorrer mais cedo e também em homens.
Vários fatores contribuem para seu surgimento: Predisposição individual é uma delas. As pessoas de pele morena a negra e aquelas que têm familiares próximos com o problema têm uma chance maior de vir a apresentá-lo. Na gravidez existe uma chance de 50 a 70% de surgimento de melasma. Já com o uso de anticoncepcionais e terapia de reposição hormonal da menopausa, o percentual pode variar de 8 a 29%.
Entretanto, o fator desencadeante mais importante no melasma é a exposição solar! Os raios ultravioleta do sol aumentam a atividade dos melanócitos, células que produzem a melanina, levando ao escurecimento das manchas.
Tratamento
O tratamento deve ser feito por um médico dermatologista. É fácil deduzir que a principal medida é o uso intensivo de fotoprotetoes (protetores solares). Os fatores mais altos, mais próximos a 100, e com cor de base, geralmente são os que mais protegem. A eficiência dos fotoprotetores cai muito após 2 horas, quando devem ser reaplicados para garantir sua total eficácia!
Os agentes clareadores atuam de diversas maneiras, antes durante e após o ciclo de produção da melanina, com o objetivo de evitar a sua produção e/ou promover a sua eliminação da pele! Existem agentes clareadores de uso tópico, tipo cremes, loções, etc, e de uso interno, por via oral.
O microagulhamento associado ou não à aplicação subsequente de clareadores vem ganhando espaço como um tratamento eficiente, muito seguro e que ainda traz melhora na qualidade da pele como ganho extra.
MMP, ou Microinfusão de Medicamentos na Pele, é um método no qual o dermatologista aplica medicamentos diretamente na pele, por meio de injeções com agulhas muito finas, ou com máquinas semelhantes às de tatuagem. Diversos medicamentos podem ser aplicados e já foram testados para o tratamento do melasma, inclusive a toxina botulínica.
NOVIDADE
A toxina botulínicamais diluída do que nas aplicações tradicionais, pode interferir na pigmentação, na vascularização e em outras características da pele, sendo hoje uma alternativa de tratamento não só para o melasma, mas também para diversas outras doenças de pele!
Os peelings leves e laseres são opções para casos que não respondem aos outros tratamentos.
Quer saber qual a melhor opção para o seu melasma? Agende uma consulta.

Logo-Andre-Lauth-rodape- dermatologista curitiba

Responsável Técnico:
Dr. André Lauth - Dermatologista
CRM-PR 21.744

Todo conteúdo deste site tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação.
Em caso de dúvidas, consulte o seu médico.

Últimas Notícias

©2018 ANDRÉ LAUTH - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS